Como me proteger da variação cambial?

A crise internacional de 2008 foi danosa para diversos segmentos da sociedade; e o comércio foi um dos que mais sofreu. O sistema financeiro mundial mostrou-se refém do momento e o uso sem precedentes de derivativos colocou em risco tanto a importação como a exportação mundial.

A variação cambial é um veneno que pode destruir pequenas, médias e grandes corporações. Para que o avanço desse mal seja contido, é indispensável a utilização de derivativos cambiais e, ao longo do tempo, essa prática se tornou habitual no meio comercial.

Vamos entender o essencial para que a sua empresa consiga se proteger das variações cambiais?

É importante para a importação e exportação que você esteja atento a todas as possibilidades que gerem proteção, diminuam os riscos e, principalmente, garantam lucros seguros para os seus negócios.

Os derivativos cambiais

 Os derivativos cambiais são também conhecidos como Hedge e traduzem a ideia de proteção, tanto para os pequenos negócios quanto para os de grande vulto e que movimentam importantes somas monetárias.

 Por derivativos cambiais entendemos que são contratos estabelecidos entre compradores e vendedores. O valor do bem a ser comercializado é definido previamente entre as partes e será mantido até a finalização do processo, independentemente à ocorrência de valorizações ou desvalorizações dos produtos.

Tipos de derivativos cambiais

 Existem quatro principais tipos de derivativos cambiais. Verifique aquele que mais se adequa ao seu tipo de negociação.

1 – Swaps

 Através das Swaps, é possível definir um fluxo de pagamentos entre as partes. Trata-se de uma troca (swap, em inglês) de riscos entre as partes envolvidas na negociação comercial.

 No seu uso, é firmado um acordo onde as partes trocam o risco de uma posição ativa (credora) ou passiva (devedora) tomando-se por base critérios previamente estabelecidos.

 São bastante utilizadas por bancos, empresas e instituições de investimentos.

2 – De opção

 Através dessa modalidade, vendedores ou compradores têm a opção de vender ou comprar o ativo relacionado na data do vencimento, por um valor anteriormente estabelecido.

 A parte que adquirir o direito (de comprar ou vender) tem a obrigação de pagar um prêmio ao vendedor, da mesma forma como ocorre num acordo de seguro.

3 – Futuros

 Com este contrato, fica estabelecida a venda ou a compra de um determinado ativo, numa data futura e por um valor estabelecido.

 O vendedor ou o comprador tem o compromisso de vender ou comprar uma determinada quantidade de um ativo por um preço estipulado.

 Esse compromisso é reajustado de acordo com as expectativas do mercado com relação ao preço futuro do bem. Essa é uma modalidade realizada apenas em bolsas de valores.

4 – A termo

 No contrato a termo, o comprador ou o vendedor tem o compromisso de comprar ou de vender determinada quantidade de um ativo financeiro ou mercadoria por um valor fixado na data de realização do negócio e que será liquidado em data futura.

 A liquidação total dos contratos a termos são realizadas somente na data de vencimento. São específicos de negociações em bolsa e no mercado de balcão.

A melhor opção para te ajudar a vencer as variações cambiais

 Importar ou exportar não é tarefa fácil e você precisa se cercar das melhores opções para realizar sempre os negócios mais vantajosos para a sua empresa.

 Por isso, é indispensável que você recorra a empresas especializadas em importação/exportação. Através do suporte de profissionais experientes, você terá a verdadeira segurança para definir os passos ideais que devem ser dados.