Como encontrar oportunidades de importação?

O mundo dos negócios está cada dia mais profissionalizado e moderno e, quem não investe corretamente ou não procura as melhores práticas, acaba sucumbindo frente a um mercado cada dia mais competitivo e voraz.
Por isso, é simplesmente fundamental que você saiba identificar as melhores oportunidades de importação, os melhores mercados, os melhores preços e condições. Você precisa de atitudes arrojadas, pois não há muitas chances para equívocos e tentativas amadoras.

Encontrando as melhores oportunidades de importação

É hora de localizar as melhores oportunidades de importação. Tome nota de cada dica para que o seu negócio cresça e suba os degraus que vão te levar a encontrar a lucratividade e o sucesso profissional.

Identifique os produtos de qualidade

Antes de qualquer coisa é importante você ter em mente que não existe um segmento totalmente rentável e outro que não renda nada. O que existe, na realidade, são produtos específicos em todos os segmentos que funcionam bem em determinados locais.

Quais são as características de um bom produto?

Para conseguir identificar um produto de qualidade, você precisa saber por onde começar. E o início de tudo é encontrar as características daquilo que entendemos como um bom produto.
Veja só alguns pontos importantes que te ajudarão bastante:

  • Bons produtos costumam ser pequenos e leves; isso gera facilidade no transporte. Além disso, o custo com frete é maior e isso aumenta o valor a ser pago. Seja o mais específico possível. Por exemplo: ao invés de investir em peças de reposição de vários tipos, escolha um (ou dois) e canalize as suas energias e a sua verba para que ele funcione bem e gere lucro.

 

  • Bons produtos são aqueles que vendem bem durante todo o ano. Fuja da sazonalidade. Invista seu dinheiro e seus esforços em produtos em que você possa ganhar dinheiro durante os dozes meses do ano.

 

  • Evite investir, por exemplo, todo o seu capital num novo modelo de celular, mesmo que seu preço de venda seja abaixo da concorrência, pois em poucos meses uma novidade surge e o seu produto não terá diferencial.

Bons produtos são aqueles que você comprar e pode dobrar o preço de venda. Se não for dessa forma, seu lucro não valerá a pena.

Fuja de produtos que precisem de muita tecnologia para funcionar. Em geral, a possibilidade de problemas é maior e há necessidade de um prazo maior de garantia.

Não adquira produtos que são também comercializados por gigantes. Aqui não estamos falando de brigas desiguais. Você precisa ser certeiro e estratégico. Não há como competir com quem tem muito dinheiro e pode investir mais do que você.

Qual a melhor maneira de encontrar os bons produtos?

Agora que você já sabe o que caracteriza um bom produto para você importar, só resta saber onde encontrar essas boas oportunidades. Existem algumas ferramentas que te auxiliam de forma excelente nessa busca. Veja só:

Alibaba.com

Aqui você encontrará diversas listas de fornecedores no exterior. Com esta ferramenta você terá acesso aos preços.

Global Sources

O Global Sources é uma excelente ferramenta para pesquisar os preços e volumes dos produtos.

Mande-In-Cina

É um lugar estratégico para análise de produtos. Eles possuem diversas opções de fornecedores e produtos pela China.

 

As oportunidades estão em todos os lugares. Converse com profissionais da área que deseja atuar, leia revistas e vá em feiras do segmento. Sempre haverá algum produto com deficiências de fornecimento no Brasil.

 

4 motivos para sua empresa importar do Mercosul (o #3 é o nosso favorito)

Antes de qualquer coisa, é preciso ter certeza de que você conhece as principais informações sobre o Mercosul. Mercosul é a sigla de Mercado Comum do Sul, que vem a ser uma União Aduaneira, formada em 1991, entre Brasil, Uruguai, Argentina, Paraguai e Venezuela.

Mais adiante Colômbia, Chile, Bolívia, Equador e Peru ingressaram nesse grupo, que tem como objetivo principal estabelecer uma tarifa externa que seja comum a todos eles, além da livre circulação de mercadorias, serviços e bens entre os associados.

Diminuir as barreiras alfandegárias e adotar uma política comercial comum em relação a outras nações são importantes motivos de existir dessa união. Isso quer dizer que devem ser estipuladas taxas comuns para produtos e serviços vindos de outros países que não sejam daqueles que compõem o Mercosul.

É fácil perceber que existem muitas vantagens para os países que compõem esse grupo, concorda? E se você pretende ingressar no seleto grupo de importadores? Será que é vantajoso o fato do Brasil estar no Mercosul? Ou isso pode se tornar um grande entrave para os seus objetivos?

 

O Brasil importador

É importante para o Brasil manter relações comerciais com outros países e importar produtos e serviços que sejam mais baratos e de melhor qualidade do que aqueles produzidos internamente. Afinal, é impossível sobreviver sendo autossuficiente.

Por isso, importar tornou-se uma importante ação para o Brasil. Mas, de quem importar? Quais são os melhores mercados para isso?

O fato de estar no Mercosul dá ao Brasil, além de proteção e poder de competição no exterior, algumas vantagens quando as ações comerciais são realizadas entre as nações que compõe o grupo. Você sabe quais são essas vantagens? Vejamos!

 

Vantagens

1. Tempo para receber as importações

É muito mais simples, mais rápido e também mais seguro quando comercializamos com países que fazem fronteira com o nosso país, não é verdade?

A logística é muito mais eficaz e o tempo de entrega é bastante acelerado e você não precisará esperar tanto quanto quando comercializamos com nações distantes. O frete geralmente é rodoviário, o que também permite valores mais baixos de logística.

2. Volumes reduzidos e menos riscos

O ideal é começar importando em quantidades seguras, sem exageros; afinal você não quer – e não pode – jogar dinheiro fora.

Por isso, é necessário olhar com bons olhos a possibilidade de pagarmos baixos impostos – ou nem pagarmos – e com volumes reduzidos. Isso diminuirá a margem de erro e o risco de dívidas comerciais, perigosas para o futuro de qualquer empreendimento.

3. Impostos

A entrada do Brasil no Mercosul tem impacto relevante em relação aos impostos pagos para importação.

Enquanto comercializa com nações europeias ou asiáticas, por exemplo, existe a obrigatoriedade de pagamento de impostos de importação que, muitas vezes, inviabilizam o negócio em função dos altos valores.

Mas este problema deixa de existir quando as relações são feitas entre os componentes do Mercosul, pois os impostos de importação entre eles foram reduzidos a zero ou a uma taxa muito próxima à isenção total.

4. Livrando-se do dólar

Uma das grandes vantagens de importar do Mercosul é que as negociações são realizadas em moeda local e não na moeda dos EUA, gerando reservas cambiais importantes para o desenvolvimento do Brasil. Além disto, a variação das moedas do Mercosul costuma ser menor, o que permite uma negociação sem a preocupação de grandes alterações do câmbio.

 

Você já importa produtos do Mercosul? Como foi sua experiência e quais são os seus planos?

Minha empresa é muito pequena para importar?

Importar é o melhor caminho por diversos motivos: pela diversificação da produção, bons negócios, ampliação dos mercados, entre outros. Mas existem alguns empresários que abrem mão desta vantagem por acharem que não tem subsídios necessários para tal ação. Eles estão certos? Não, não estão.

Separamos quatro argumentos para explicar pra você que isso não passa de um mito e que você não é tão pequeno a ponto de não ter capacidade de importar.

Aliás, você vai perceber que não existe um patamar mínimo para que você seja considerado capacitado – ou não – para isso. Prepare-se! Seus dias longe das importações estão contados.

 

1. Não precisa ser grande

Quem disse que somente as empresas grandes e bastante estruturadas é que podem importar? Esse equívoco tem excluído diversos empreendedores de realizarem bons e grandes negócios, pelo simples fato de julgarem que o processo importador requer grandes somas monetárias e um departamento de comércio exterior amplamente desenvolvido.

A grande vantagem dos dias atuais é o desenvolvimento de empresas especializadas nesse trâmite e que podem buscar os melhores atalhos para você e a sua empresa.

O custo costuma ser proporcional àquilo que você pretende importar. Procure uma consultoria que dará todos os primeiros passos por você, te proporcionando as melhores opções que a importação pode fornecer.

 

2. Haja dinheiro

Os pequenos e médios empresários esbarram na grande questão: não ter tanto capital a ponto de importar. Impostos e valor dos produtos são vistos como grandes entraves para quem ainda não se considera grande no mercado.

Mas existem excelentes alternativas, como as linhas de financiamento, que possibilitam uma linha de crédito no exterior para que você adquira os seus produtos de forma segura e com taxas de juros fixas.

Por isso, qual o problema em você possuir uma empresa pequena e com investimentos mais comedidos?

 

3. Não possuo capital para viajar constantemente para o país que exportará para mim

Outra justificativa sua para não importar é que não possui tempo de viajar a todo o momento para o país exportador para acompanhar a produção dos produtos que você deseja e também para conhecer de perto a qualidade do serviço.

Além disso, você coloca na sua planilha os gastos com hospedagem, dificuldade com idioma e custo de passagens.

Mas nada disso é necessário se você contratar uma empresa especializada neste serviço. Ela fará tudo por você. Existem assessorias e consultorias especializadas em comércio internacional. Ela será os seus olhos em contato direto com o país exportador, dando a segurança que você precisa para realizar os melhores negócios e nos melhores mercados, pois ela também indicará as principais opções, aquelas que se encaixam perfeitamente no seu orçamento.

 

4. Sou pequeno, não possuo espaço e nem dinheiro para negócios que envolvam grandes somas monetárias

E lá vai novamente você colocando milhões de barreiras para não importar. O fato de seu empreendimento ser pequeno não te exclui desse tipo de negócio.

Apesar de alguns exportadores focarem em fazer negócios de alto valor e em grandes quantidades, não quer dizer que todos sejam assim. Existem diversos mercados que são favoráveis a vendas com uma quantidade reduzida e essa opção se encaixa perfeitamente com você.

E não para por aí: você pode importar negociando com distribuidores internacionais. Nesse contexto, mais uma vez, mencionamos as empresas especializadas neste tipo de negócio que farão a melhor leitura do mercado para que você encontre o fabricante que mais se aproxime dos seus objetivos.

 

E agora?

Agora não tem mais desculpa e não dá mais pra usar o tamanho do seu investimento para não importar. Por isso, procure imediatamente uma empresa que vai te levar para os melhores mercados e abrir um novo mundo de negociações para você.

 

Mãos à obra! Compartilhe sua experiência e dúvidas nos comentários abaixo!

Custos na importação

Ao optar pela importação de um produto, é essencial que o importador faça uma análise completa de todos os custos envolvidos na nacionalização da mercadoria, a fim de definir estrategicamente se a operação é compensatória para determinada mercadoria, bem como buscar soluções e opções para otimização dos resultados financeiros.

A importação em si envolve muitas variáveis, tais como a parametrização fiscal da Declaração de Importação (que irá influenciar no tempo de permanência da mercadoria no recinto alfandegado), taxa de câmbio, se haverá ou não necessidade de vistoria MAPA/expurgo (para importações marítimas), pagamento ao órgão anuente (quando for o caso), utilização ou não de benefício fiscal de ICMS, entre outros. Para uma análise mais detalhada e crítica da operação, o importador pode contar com a ajuda de uma empresa especializada.

No entanto, há alguns custos que são comuns a todos os processos, os quais estão relacionados abaixo:

  1. Pagamento da mercadoria ao exportadorA forma de pagamento deve ser negociada entre o importador e exportador;
  2. Pagamento do frete internacionalao agente de carga: normalmente será pago após a chegada da carga no Brasil, com a taxa de câmbio vigente – para operações COLLECT. Em caso de operações PREPAID, o valor é pago diretamente ao exportador, juntamente com a mercadoria;
  3. Pagamento dos impostos federais para a Receita Federal (o fato gerador dos impostos federais ocorre no momento do registro da DI, bem como sob a taxa de câmbio vigente nesta data. Estão inclusos: Imposto de Importação, Imposto sobre produtos industrializados (IPI), Pis/Pasep, Cofins, Antidumping (quando for o caso). As alíquotas destes impostos são dadas de acordo com classificação fiscal do produto. Em toda DI também há a incidência da Taxa Siscomex;
    • Imposto de importação: O Imposto de Importação é recolhido com base no valor aduaneiro da importação, ou seja, o valor CIF (custo da mercadoria, seguro e frete).
    • Imposto sobre produtos industrializados (IPI): Calculado com base no valor aduaneiro adicionado do imposto de importação (II).
    • PIS/Pasep: Calculado com base no valor aduaneiro.
    • COFINS: Calculado com base no valor aduaneiro.
  4. Pagamento de armazenagemao recinto alfandegado: é pago pelo período de permanência da carga, e inclui também os serviços agregados que se fizerem necessários. A escolha do recinto alfandegado é feita pelo importador;
  5. Pagamento do AFRMM: para importações marítimas, é obrigatório o pagamento do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante. Pode ser pago a partir da data da atracação do navio no porto de destino e antes da retirada da mercadoria;
  6. Pagamento dos serviços da comissária de despacho: Normalmente o importador faz a contratação de uma comissária de despachos para realização do desembaraço aduaneiro e operações intrínsecas. O valor depende da operação e negociação;
  7. Pagamento do ICMS: trata-se de um imposto estadual (Imposto sobre a circulação de mercadorias e prestação de serviços) e é devido ao estado do importador do bem. Pode ser pago a partir da data do registro da DI e tem como fato gerador o desembaraço aduaneiro. Em caso de operações via trading, o valor pode ser reduzido, através da utilização de um benefício fiscal;
  8. Pagamento do Frete Rodoviárioà transportadora: normalmente o importador opta por terceirizar o serviço de retirada da mercadoria do recinto alfandegado e entrega na empresa e/ou local desejado.

Calculadora de custos de importação

Você já sabe como calcular os impostos incidentes em uma importação? Baixe nossa planilha de custos na importação clicando aqui.