5 mitos sobre importação (o #2 é o mais comum)

Você é uma daquelas pessoas que têm – dentre vários objetivos – a intenção de se tornar um importador, mas sempre esbarra no receio de que dará um tiro no escuro ou que jogará dinheiro fora ou, ainda, que não tem a experiência necessária para tal iniciativa?

Existem muitas verdades e também alguns riscos de mergulhar nessa iniciativa. Todavia, o que a maioria das pessoas não sabe é que quase tudo é mito e podemos mitigar os riscos do comércio exterior.

Por isso, para que você entenda um pouco mais desse novo mundo que se abre à sua frente, resolvemos desmistificar cinco mitos sobre a importação. Tome nota, tire suas dúvidas, aprofunde-se e comece já a colocar em prática o seu lado importador.

 

Mito 1 – Importação é somente para empresas grandes

Essa é uma das grandes preocupações de quem tem a vontade de importar, mas ainda não possui uma estrutura que considere satisfatória para tal. Algumas pessoas acreditam que somente as grandes corporações são capazes de importar porque precisam de um departamento de comércio exterior instalado e desenvolvido. Isso é mito e não pode atrapalhar os seus projetos. Pequenas e médias empresas têm total possibilidade de ingressar nesse empreendimento. Existem empresas especializadas em importação e que podem fazer este serviço para você.

O custo? Não é nada fora do comum! Todos os gastos são proporcionais ao montante importado. Por isso, é hora de sair do lugar e buscar este serviço com quem entende de importação.

 

 

Mito 2 – Para importar é necessário investir muito dinheiro antecipadamente

Você se animou com a possibilidade de começar a importar, mas quando pensou no dinheiro que teria que investir, começou a postergar esse projeto. Porém, vou lhe mostrar uma oportunidade de financiamento.

Existem muitas possibilidades para que você ingresse de vez nessa atmosfera. Uma delas são as linhas de financiamento, como o FINIMP. Essa é uma excelente opção para você.

O FINIMP (Financiamento à importação) é uma modalidade de financiamento que é disponibilizada ao importador a partir de um repasse de linha de crédito, concedido por um banco do exterior, que realiza o pagamento à vista ao exportador e permite que o importador pague a prazo.

Vantagens não faltam para quem adere a essa modalidade:

– Você pagará as mesmas taxas de juros que são utilizadas no mercado internacional e o desembolso é feito à vista para o exportador estrangeiro. Ou seja, como no exterior os juros são extremamente baixos (cerca de 1% ao ano), você irá se beneficiar disto para poder investir em estoque e obter maiores margens de lucro.

– Não há alterações na taxa de juros. Elas são fixas durante todo o financiamento, e isso te auxilia a ter uma boa previsão do seu fluxo de caixa.

– Costumam ter duração de longo prazo, como 360 dias, e pode ser renovado por igual período.

 

Mito 3 – Importar é complicado

De uma coisa você precisa saber: importar não é algo tão simples. Mas não é simples pra quem não se prepara para isso. O seu caminho se torna possível e vantajoso quando você prepara a sua empresa e os seus colaboradores com treinamentos específicos e pesquisas. É preciso dominar o assunto e ter consciência de tudo o que precisa ser realizado em cada etapa do processo.

E este processo fica ainda mais fácil quando você contrata alguém que é especializado neste segmento. Existem diversas consultorias e assessorias que atuam no mercado há anos. Investir na contratação destes profissionais é um investimento que vale a pena e aumenta sensivelmente a sua faixa de lucro com importações, pois você estará lidando com quem realmente está preparado para isso. Eles cuidam de pontos essenciais, como documentação inicial, negociações, logística do processo de importação e recebimento do produto importado.

 

Mito 4 – É necessário visitar as fábricas presencialmente para garantir a qualidade

Muitos desistem de importar porque acham que terão que viajar regularmente ao país exportador para acompanhar de perto o processo produtivo. Imagine o custo com viagens, desconhecimento do idioma, hospedagem e toda a infraestrutura e gastos que envolvem uma viagem. Realmente, se isso fosse necessário, seria um entrave enorme.

Mas nada disso é necessário e você pode sim ser um grande importador. Sabe como?

Você tem o direito de solicitar amostras periódicas aos fornecedores, realizar testes de qualidade nos produtos que você pretende comprar, acompanhar a produção, o embarque e todas as demais fases do processo – e o melhor, tudo isto através de agentes no país de origem das mercadorias.

 

Mito 5 – Os exportadores somente vendem grandes volumes

Isso acontece, mas não é sempre assim. Há alternativas e você não precisa desistir de fazer importações se o seu interesse é negociar com pouca quantidade.

Existem várias empresas no exterior que não estipulam uma quantidade mínima de produtos para que seja possível a importação. Além disto, você também pode obter preços favoráveis e melhores condições importando através de distribuidores internacionais.

Por fim, é importante ter em mente que contratar uma empresa especializada nesse processo de importação é a melhor saída para qualquer investidor, seja ele grande, médio ou pequeno.

Você pode dar passos seguros e acertados e ter uma margem de lucro ainda maior e possibilidades de riscos e prejuízos próximas a zero quando se associa a quem trabalha exatamente para facilitar o seu caminho.

 

Você também possuía uma destas preocupações? Compartilhe conosco nos comentários!

4 pensamentos em “5 mitos sobre importação (o #2 é o mais comum)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *